Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘exigência do diploma’

 Diploma, sim,
mais de um, se possível

Por Carlos Thompson
twitter.com/ThompsonClaro

Diploma de jornalista ou salve-se quem puder? Confesso que fiquei surpreso quando o Supremo Tribunal Federal (STF) liquidou com a exigência de diploma para o exercício da profissão.

Pensava que o diploma poderia, sim, ser substituído por alguma composição entre curso superior e um ano e meio a dois anos de pós-graduação em jornalismo. Mas reduzir o nível de exigência? Liberar geral? Nunca imaginei que o desejo de vingança contra os jornalistas perguntadores, descobridores de coisas que não se devem exibir à luz do dia, chegaria tão longe.

Tente conseguir qualquer emprego, por menor que seja o salário, sem o segundo grau. Duvido que consiga, exceto na informalidade. E curso superior, aliás, hoje é só um começo para empregos medianos. Falar inglês ajuda um pouco, mas um terceiro idioma é desejável. Se possível, alemão, chinês, algo assim.

.diploma

Dominar o computador é brincadeira de criança.

Neste mundo, então, jornalista nem precisa ter passado pela faculdade?

A justificativa de liberdade de expressão é tão fora de questão, tão ridícula, que desmerece quem a defende. Comparação a outras funções? Provocação barata de quem odeia, isto sim, a liberdade de expressão, que permite ao jornalismo investigar, criticar, expor fatos incômodos.

Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) restabelece a exigência do diploma, o que, convenhamos, é melhor do que o vazio institucional proposto pelo STF. Esperemos que os congressistas tenham um raro momento de lucidez, e votem a favor do diploma.

Obviamente, muitos preferem o vazio atual a uma categoria organizada, com piso salarial, organização sindical etc. São netos ou bisnetos daqueles fazendeiros que viam, na Abolição da Escravatura, dano econômico irreparável. Nem por isso vamos conectar nossos notebooks na área de remadores acorrentados das galés.

Se tiverem real interesse na liberdade de expressão, evitem propostas absurdas, como o tal Conselho Federal de Jornalismo. Fiquem de olho na violência praticada contra jornalistas pobres, do interior do Brasil, quando escrevem matérias que incomodam chefetes locais.

Todos os assassinos de jornalistas estão nas prisões ou nas barras dos tribunais? Não, certamente, não.

Os cursos de Jornalismo não estão no nível desejado? Invistam na qualidade do ensino fundamental. Analfabetos funcionais não se tornarão excelentes universitários. Paguem mais aos professores. Depois, cobrem produtividade e qualidade deles. Façam o que países que valorizam a educação de verdade, e não no gogó, no discurso, já fizeram há décadas.

Cursos superiores podem ser aperfeiçoados, discutidos, modificados, se houver interesse neste debate. Não acredito que haja. Governos populistas e autoritários não gostam da imprensa. Nem de seus profissionais. Gostam de aplausos e de áulicos. De votos e de apagões alheios, nunca dos seus.

 

Criticam os meios de comunicação e os jornalistas como o cônjuge traído, da piada popular, que trocou o sofá da sala em lugar de cobrar fidelidade a quem de direito.

Jornalismo com diploma, sim, se possível com mais de um. Com mais exigência, nunca com menos. E quem não gosta de matérias investigativas, que trate de agir corretamente, dentro da lei e dos preceitos éticos. Daí, não vira notícia negativa, e todos ficarão felizes.

Read Full Post »